página inicial
mensagem diretoria
sobre a câmara
acordos
historico
como associar-se
negócios
comunidade
cultura e turismo
feiras
fotos
publicidade
filiais
patrocinadores
dados estatisticos
carta embaixador
contato
     email  e-mail
site criado e desenvolvido por WbCD

http://www.advocaciarsilva.com.br/

Portal do Estado de São Paulo

Cummins

J&J





Artigos de Peter Palms em Inglês

Brazilian Beef

Abitrigo

Café Mogi

Sadia

abef






abipecs

Download do Adobe Acrobat Reader

O Presidente da conceituada revista de comércio internacional- Revista Brazil Export, Sr. José Cláudio Pinheiro da Silva entrevista Antonio Carlos Rosset F.
Essa matéria também poderá ser encontrada no site: www.brazilexportmagazine.com.br

Mercado da Rússia
Uma Força Ainda Pouco Conhecida

A Rússia tem uma econômia em plena expansão e é um dos maiores mercados consumidores do mundo. Mesmo assim, este mercado ainda é pouco conhecido dos empresários brasileiros.

As carnes e o açucar brasileiros já descobriram o caminho da Rússia. A alta qualidade destes produtos construíram uma imagem positiva do Brasil, criando, assim, condições favoráveis a entrada de outros setores nesse mercado.

A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Rússia em São Paulo surge como um importante instrumento de apoio e incentivo ao comércio entre estes dois países. Através dela, empresários russos e brasileiros tem condições de conhecer os nichos de mercado dos respectivos setores e de viabilizar os seus negócios. Com escritórios no Brasil e na Rússia, a Câmara consegue vencer as barreiras linguística e burocrática de qualquer negociação bilateral.

O mercado russo e o comércio entre Brasil e a Rússia foram os temas principais abordados pelo Sr. Antonio Carlos Rosset Filho, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Rússia em São Paulo, em sua entrevista a Revista Brazil Export ( BE ), que se segue:

BE- Quais os serviços que a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Rússia presta a seus associados? Quantos são eles? E a que setores pertenncem?
Rosset- A Câmara tem cerca de 1.000 Associados, envolvendo tradings e empresas de diversos setores. Somos. Hoje, a terceira maior Câmara de Comércio e Indústria do Brasil.
Oferecemos serviços de tradução de documentos técnicos e de acompanhamento de empresários na Rússia, por meio de nosso escritório, em Moscou, onde trabalham 3 pessoas em tempo integral. Este escritório que está em atividade desde 2001, realiza contatos comerciais e elabora pesquisas de mercado para qualquer tipo de produto. Caso um Associado ou uma empresa brasileira necessite de um contato na Rússia, nosso escritório estará pronto para executar este serviço. Também temos acordos com as Câmaras de Comércio e Indústria de Moscou, São Petersburgo, Urais e República do Tatarstan o que faz com que as informações de empresas russas associadas dessas Câmaras de Comércio sejam obtidas quase que imediatamente. Exemplo: situação financeira de uma determinada empresa russa.

BE- Esta tradução tem que ser juramentada?
Rosset- Depende de sua finalidade. Se o documento tiver um caráter oficial e for destinado, por exemplo, ao Ministério da Agricultura ou ao Ministério da Saúde, a sua tradução terá que ser juramentada. Nos demais casos a tradução poderá ser comum.

BE- Quais as semelhanças entre o empresário do Brasil e o da Rússia?
Rosset- Entre o empresário brasileiro e o russo existem algumas semelhanças.
Ambos são hospitaleiros, tem um respeito mútuo, valorizam o contato pessoal, tem pouco conhecimento em relação ao outro e são pragmáticos para fechar um negócio.
Os russos tem algumas carcterísticas peculiares. Eles, por exemplo, não gostam de responder a e-mails, fax e cartas. Eles priorizam o contato pessoal. Uma negociação com um empresário russo não se desenvolve se não tiver havido um encontro das partes envolvidas.

BE- Qual o tipo de apoio dado pela Câmara para viabilizar este contato pessoal?
Rosset- Na Rússia, a Câmara tem uma equipe que acompanha o empresário brasileiro em suas visitas comerciais. Na volta deste empresário ao Brasil, a Câmara continua dando um apoio local a ele para o prosseguimento das negociações no idioma russo.

BE- Quais os produtos que o Brasil mais exporta para a Rússia e quais os que mais importa?
Rosset- Os produtos alimentícios são os mais exportados do Brasil para Rússia.
O açucar lidera esta lista de produtos. A Rússia é o maior importador de açucar do Brasil. Em seguida vem as carnes de frango, suína e bovina. O café tem diminuído gradativamente o volume, mas é um produto de exportação importante no comércio.
Este ano, o Brasil não vai repetir o volume de vendas do ano passado no que se refere a carne de frango, devido ao sistema de cotas implantado pelo governo russo. As vendas de carne suína e bovina, entretanto devem repetir o desempenho de 2002, talvez até ultrapassá-lo. Depois vem os sucos e o tabaco mas com embarques pouco expressivos.
Os produtos russos importados pelo Brasil são liderdos pelos metais finos, principalmente as ligas para o setor automotivo. Depois vem fertilizantes, química fina e uréia.

BE- A queda das exportações brasileiras de carne de frango deveu-se a pressão dos americanos?
Rosset- Acredito que sim. Existe um lobby muito forte dos americanos atuando na Rússia.
Eles criaram uma Associação que reúne importadores russos denominada Associação Eurásia, que defende os interesses americanos junto ao Governo da Rússia.

BE- O que o Brasil teria que fazer para melhorar a situação das exportações de carne de frango para a Rússia?
Rosset- Na opinião da nossa Câmara, o melhor para o Brasil seria adotar o mesmo procedimento dos exportadores americanos, ou seja, buscar o apoio de uma Associação de importadores russos que tenham preferência pela carne de frango brasileira.
Essa associação local, então, defenderia os interesses brasileiros. É importante salientar que outros países também tem associações de importadores semelhantes a Associação Eurásia.

BE- Na sua opinião, o que poderia ser feito para aumentar o comércio bilateral entre o Brasil e a Rússia?
Rosset- O comércio entre o Brasil e a Rússia aumentaria muito se o Governo criasse uma linha de financiamento para que os importadores brasileiros pudessem comprar produtos russos. Além desta medida, as missões de comércio a Rússia deve, continuar ocorrendo, mas o empresário precisa ser informado como se negocia na Rússia.
Recentemente, o Governo brasileiro adotou um procedimento semelhante para aumentar o comércio com a Argentina ( foi aberta uma linha de crédito de US$ 1 bilhão ). Esse financiamento ajudaria as empresas brasileiras a equilibrar a balança comercial entre os dois países e a conhecer as potencialidades do mercado russo, principalmente em relação a produtos de alta tecnologia. Posso citar como exemplo, a tecnologia de semicondutores, de ampla aplicação o setores de telecomunicações e automotivo.

BE- Quais são os números da balança comercial entre o Brasil e a Rússia?
Rosset- No ano passado, o Brasil exportou mais de US$ 1.2 bilhão para a Rússia e importou cerca de US$ 300 milhões. Em 2003, esses números tendem a aumentar um pouco.
É fácil constatar que há um forte desequilibrio na balança comercial em favor do Brasil. Se houvesse, como já disse, uma linha de crédito para que os importadores brasileiros adquirissem produtos russos, isto traria um maior equilibrio no comércio entre os dois países. Este equilibrio é necessário para promover um aumento no fluxo comercial e no conhecimento mútuo.

BE- Qual a avaliação da participação da Câmara na Feicorte 2003?
Rosset- A nossa participação na Feicorte 2003 foi muito positiva. Os objetivos da nossa Câmara é falar do mercado russo para as empresas brasileiras e a Feicorte foi uma oportunidade ideal para isso.
Recebemos muitos visitantes interessados em realizar negócios com a Rússia. Destaco por exemplo, o interesse de algumas empresas em comprar sulfato de cromo da Rússia. Trata-se de um produto muito usado no curtimento do couro e que o Brasil importa da Argentina e Uruguai. A Rússia é um grande exportador de sulfato de cromo. Recebemos até uma proposta de montagem de uma indústria deste produto no Brasil, com capital russo-brasileiro.

BE- Qual o conselho que o Sr. Daria para um pequeno e médio exportador brasileiro?
Rosset- O conselho que eu daria é para que esses exportadores viajassem para Rússia para usufruir das oportunidades que esse mercado oferece. O mercado russo é um dos maiores do mundo. A Rússia é o país que mis cresce na Europa e, nos últimos 3 anos, vem tendo superávits na sua balança comercial. Além disso, a Rússia possui uma econômia controlada e um sistema financeiro sólido.
Esta é uma ótima ocasião para investir no mercado russo, uma vez que a presença americana e européia ainda não é muito forte.
Os exportadores brasileiros que se voltarem para este mercado terão, com certeza, um retorno compensador. A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Rússia estará sempre pronta a ajudá-los neste intento.

Revista Brazil Export
Ano 33/ n. 349- 2003



Camara de Comercio e Industria Brasil - Russia
Rua Cornélio Pires, 06, Cep: 04320-140 - São Paulo- S.P - Brasil
Telefone/ Fax: +55 11 3637-7143